domingo, 5 de fevereiro de 2017

Uma resenha meio leiga sobre o filme "La La Land" #AquecimentoOscar2017


Primeiramente, cuidado que esse post pode conter alguns spoilers!

No dia 26 deste mês acontecerá o Oscar 2017, a maior e mais esperada premiação do cinema e eu criei um objetivo que dessa vez assistirei todos os filmes que estão concorrendo à categoria de Melhor Filme, rs. Com isso, farei uma resenha aqui no blog (resenha mesmo, com poucas palavras) de cada um desses 9 filmes concorrentes e começando pelo maior indicado da premiação: "La La Land: Cantando Estações":

Eu sei que muitas pessoas, principalmente nós brasileiros, têm um pouco de receio em assistir um filme musical, pois normalmente para nós acaba sendo algo muito cansativo e até chato. Porém, não vá assistir La La Land com este pensamento, primeiro que o filme não é um completo musical, começa sim como um logo na primeira cena, mas com o desenrolar da trama, acaba focando mais na história de amor dos protagonistas Mia (Emma Stone) e Sebastian (Ryan Gosling), que cá entre nós tem momentos muito fofos e momentos meio WTF.

Mia é uma barista em uma cafeteria dentro dos estúdios Warner, mas que sonha em ser atriz e Sebastian é um pianista típico de não ter e não querer nada além disso, que acha que um dia vai conseguir só viver disso e ter seu próprio clube de Jazz. Falando nisso, uma coisa que você acaba até gostando, caso não goste, é de Jazz depois que ver o filme, eles abordam muito esse gênero de uma forma bem bacana e confesso que procurei até alguns artistas do tipo depois que vi o filme, rs.


Depois de frustrações com testes de elenco, Mia conhece Sebastian em um bar, que de início não dá trela para ela, pois acaba de ser demitido do restaurante em que tocava, mas entre idas e vindas, eles se encontram e começa todo o love. Com altos e baixos, o relacionamento deles vai caminhando, até que Sebastian começa a tocar em uma banda, que era para ser de Jazz e no fim das contas deu uma modernizada, mesmo ele, devoto ao ritmo de raiz, não resistiu e entrou em turnê com a banda, e foi o motor de arranque para que o amor dos dois começasse a se diluir até chegar ao seu fim.

Algumas coisas acontecem anos depois que eles terminaram, Mia arranjou outro namorado, menos "boêmio" eu diria, que Sebastian, e eles se encontram dentro do clube de Jazz que ele finalmente conseguiu abrir. É um final emocionante, e acreditem, não muito clichê, mas não vou dar spoiler a esse nível, rs. Eu resumiria o filme em uma palavra: gana.


E no Oscar...

Acredito que seja um filme que leve a estatueta, com certeza, ainda mais considerando o número de indicações e a popularidade que tomou, principalmente em terras estadunidenses. É um filme muito bom, levemente cansativo mas bom, com o figurino bem legal, o roteiro também, você acaba não se perdendo em nada assistindo, ótima edição, principalmente nas coreografias musicais e não podemos deixar de apostar as fichas para o elenco que foi muito bem escolhido. Mas já assistindo outros filmes que estão concorrendo, estou na torcida para outro, #prontofalei rs, mas isso falarei depois.

Veja o trailer:




[imagens: aqui, aqui e aqui]